Calendário

Setembro 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
 << < > >>
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Anúncio

Quem está conectado?

Membro: 0
Visitante: 1

rss Sindicação

09 Maio 2016 - 14:34:18

Fabio Mozar Escreveu - claro que acrescentou


Fabio Mozart escreveu: "Gabriel, o verdadeiro anjo
pornográfico



 



Tarcísio Pereira ainda era pobre e ajudava a manter o teatro
Cilaio Ribeiro, da Federação Paraibana de Teatro Amador com seu parceiro de
palco e de bar, meu compadre Jacinto Moreno. Em cartaz, a peça “Amor à meia
luz”, furor pornô-erótico da época, uma espécie de Pastoril profano em moldes
mais “sérios”, de autoria de Moreno, tendo como ator principal o jovem Gabriel
no máximo de sua grandeza interpretativa, no papel de um rapaz que come a
mocinha nas mais delirantes peripécias.



 



Porém, e sempre tem um porém, a real esposa do ator Gabriel
jamais se convenceu do distanciamento interpretativo do galã, principalmente
nas cenas tórridas. O texto sofreu toda sorte de cortes e censuras, mas sempre
sobrava aquela parte em que a personagem de Gabriel se atracava com a mocinha,
os dois devidamente nus.



Foi durante a festa das Neves, teatro lotado, a peça teve
início com o reprimido Gabriel já mandando ver na sua heroína, quando à meia
luz aparece a mulher do canastrão carregando mais brabeza do que uma lata cheia
de siri. O porteiro Tarcísio Pereira ainda tentou barrar a entrada da megera
disposta a baixar o fogo do ator a golpes de Gillette. Jacinto Moreno, que
fazia a luz do espetáculo, foi chamado ás pressas à portaria, na tentativa de
botar panos quentes no incidente que ameaçava a função.



 



De comédia de erros e costumes, a peça descambou para a
baixaria pura e simples. A furiosa mulher enfiou a mão nas respectivas fuças da
equipe técnica e entrou em cena, disposta a comer o fígado de Gabriel. A
platéia foi ao delírio, crente de que se tratava de peripécias do enredo.
Jacinto tentava acalmar o conflito, aos berros:



 



--- Senhoras e senhores, pedimos desculpas pela situação,
isso não faz parte do espetáculo!



 



Foi quando se deu a cena de sangue. A senhira Gabriel rasgou
a marcado Zorro na cara do galã com seu estilete, a matéria desceu e a policia
foi chamada.



Na delegacia, faltou pouco para que toda a troupe fosse
dormir no xilindró. Moreno era o mais exaltado:



 



--- Ela me chamou de fresco! Quero meus direitos autorais de
macho!



 



Terminada a acareação, foi todo mundo para a bagaceira da
festa das Neves tomar São Paulo com tira-gosto de churrasco de gato.



 



Gabriel pediu divórcio por “incompatibilidade de gênero”.
“Vou arriscá-la completamente da memória”, prometia o violentado ator.



 



Tarcísio Pereira, Jacinto Moreno, Marcos Veloso"



 



Ver publicação



Admin · 2 vistos · Deixe um comentário

Link permanente para o artigo completo

http://moreno.bloggratuito.net/Primeiro-blog-b1/Fabio-Mozar-Escreveu-claro-que-acrescentou-b1-p35.htm

Comentários

Este artigo ainda não tem Comentário ...


Deixe um comentário

Estado dos novos comentários: Publicado





Sua URL será visualizada.


Entre com o código contido nas imagens


Texto do comentário

Opções
   (Salvar o nome, email e a url em cookies.)