Calendário

Setembro 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
 << < > >>
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Anúncio

Quem está conectado?

Membro: 0
Visitante: 1

rss Sindicação

09 Maio 2016 - 14:11:38

Cinema x Teatro -


DIREÇAO DE ATORES   NO CINEMA  - 
CINEMA ENQUANTO ARTE -  HÍBRIDA
ARTE ESTETICAMENTE DA,  AMBÍGUA,
TRIBUTÁRIA DE OUTRAS LINGUAGENS ARTÍSTICAS ENQUANTO ARTE DE SONAGENS E
SITUAÇOES QUE SE PROJETAM NO TEMPO SE VINCULA AO TEATRO E À LITERATURA:   - 
COMO NO ESPETÁCULO TEATRAL TEMOS OS PERSONAGENS DA AÇAO  ENCARNADOS EM ATORES COMO NA LITERATURA OS
PERSONAGENS ADQUIREM UMA MOBILIDADE, UMA DESENVOLTURA NO ESPAÇO E NO ARTE DO
ATOR DOIS PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS: O corpo humano se torna um meio de
expressão, abandonando seu caráter acidental e facultativo O gesto torna-se, em
si mesmo, uma linguagem de sentimentos e ideias O ator é o homem tornado
personagem que se movimenta numa ação dramática dentro de um espaço e um tempo
fictício.  O ATOR NO TEATRO :
•teatralização: elemento que rompe com a dimensão cotidiana de uma ação •Plano
geral •Necessidade de projetar o movimento para além do palco •O ator
apropria-se do papel vivendo-o junto ao público, na sequência e em tempo real,
a O ATOR NO CINEMA : •Representação do real •Plano aberto/plano fechado
•necessidade de revelar a dimensão dos sentimentos, estados de alma,
pensamentos do personagem •Gestos tem como limite a proporção do frame  - PRIMEIROS FILMES DE FICÇAO encenação
prioritariamente teatral: •câmera imóvel •distancia invariável •incidência
angular uniformemente frontal e sempre à altura do peito e do olhar •ponto de
vista de uma plateia imaginária   CINEMA
MUDO  A pantomima dos corpos buscam
suprir a falta da palavra. Com isso cria-se uma nova linguagem, exprimindo
gestos que são uma espécie de síntese de estados de espírito.   EXEMPLOS DE TEATRALIDADE  LATENTE NO CINEMA •Carlitos •Gordo e o
Magro    CHARLES CHAPLIN "A ação é
geralmente mais entendida do que palavras.(...) Ouça uma descrição de algum
objeto estranho — um javali-africano, por exemplo; depois olhe para uma foto do
animal e veja como você fica surpreso" (Charles Chaplin) CHARLES CHAPLIN O
GAROTO (The Kid) de 1921 O GRANDE DITADOR (The great dictator) de 1940 MÉTODO
“CHAPLINIANO” •Chaplin nunca começou a filmar a partir de um roteiro completo
•A estrutura narrativa emergia do improviso •Improvisava as cenas a partir de
um tema. Por exemplo: "Carlitos entra em um spa" ou "Carlitos
trabalha em uma loja de penhores". •Trabalhava com seu elenco estático
para improvisar  CINEMA FALADO NOVA FORMA
DE CONSTRUÇAO DA NARRATIVA CINEMATOGRÁFICA: •forma de narrativa que se filma de
maneira fracionada (em planos) •planos captados de forma descontinua (por eixo
de luz, por partes do cenário e segundo os problemas e as necessidades de produção)
•os limites do tamanho de plano não são fixos: mudam de tamanho, posição,
altura e podem estar em movimento •O “ponto de vista” do espectador não está
num só lugar. O olhar do NOVA NECESSIDADE TÉCNICA ATORIAL •GESTOS CONTIDOS
•VOLUMES MINIMIZADOS •CONTROLE  A
EXPRESSIVIDADE NA PARTE DO CORPO COLOCADA EM FOCO •ATUAÇÃO DRAMÁTICA
DESCONTINUA COM RUPTURAS E MUDANÇAS TEMPORAIS •CONSTRUÇÃO DO ESPAÇO FORA DE
QUADRO: O OUTRO ATOR OU O CENÁRIO AUSENTES O STAR SYSTEM •Método de criação,
promoção e exploração de estrelas de cinema no cinema clássico de Hollywood.
•Seleçao de jovens atores promissores •Glamorizaçao e criação de personas –
novos nomes, novos backgrounds, comportamento padronizado (clausulas de
moralidade eram comum nos contratos com os estúdios) •Exemplos: Cary Grant,
Joan Crawford, Rock Hudson •Ênfase na imagem mais do que na atuaçao BETTE DAVIS
A MALVADA (All about Eve) de 1950 NOVO IDEAL DE REPRESENTAÇAO: •A partir dos
anos 60 um novo estilo de atuação mais natural emergiu: as singularidades e qualidades
da pessoa do ator passa a ser um novo tesouro • Estilo lista da cinematografia:
cinema como reflexo estético da realidade •A criação do personagem
cinematográfico exigirá do O MÉTODO (“Method acting”) 1930 Influenciada por
CONSTANTIN STANISLAVSKI: Verdade teatral Criada por LEE STRASBERG Método de
Interpretação Para o Ator : técnica onde o ator procura desenvolver em si mesmo
os pensamentos e emoções da personagem 
Os alunos de Strasberg incluem muitos dos mais melhores atores
americanos da segunda metade do século XX tais como: Marlon Brando Paul Newman
Robert De Niro Al Pacino James Dean Dustin Hoffman Marilyn Monroe Jane Fonda
Jack Nicholson Tom Hanks Adrien Brody O MÉTODO •criar em si os pensamentos e
sentimentos de seus personagens e para desenvolver performances orgânicas •Os
atores recorrem as suas próprias emoções e memórias •O método é utilizado para
adquirir realismo na interpretaçao: NON ACTING •Imersão no personagem •“O que
motivaria a me comportar da maneira que o personagem se comporta?” Strasberg
pede para que o ator substitua as circunstâncias do roteiro/peça pelas suas
próprias. (substituição) MERYL STREEP A ESCOLHA DE SOFIA (Sophie`s choice) 1982
AS PONTES DE MADISON (The Bridges of Madison county) 1995 



Admin · 3 vistos · Deixe um comentário

Link permanente para o artigo completo

http://moreno.bloggratuito.net/Primeiro-blog-b1/Cinema-x-Teatro-b1-p33.htm

Comentários

Este artigo ainda não tem Comentário ...


Deixe um comentário

Estado dos novos comentários: Publicado





Sua URL será visualizada.


Entre com o código contido nas imagens


Texto do comentário

Opções
   (Salvar o nome, email e a url em cookies.)