Calendário

Setembro 2017
DomSegTerQuaQuiSexSab
 << < > >>
     12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930

Anúncio

Quem está conectado?

Membro: 0
Visitante: 1

rss Sindicação

Visualização dos artigos postados por: Admin

09 Maio 2016 


 



SET DE FILMAGENS: Aparição - 2014/set/out



 



EXTERNAS:



I  -   FAZENDA N.S. DO PILAR: BR, 110/ VIADUTO/VIA
OESTE. BAIRRO DOS NOVAIS.



01 – SEQ 02 -  EXTERNA/COVA DA
IRIA.   -    (
PRIMEIRA APARIÇÃO DA VIRGEM)



PERSONAGENS :     Lucia, Francisco, Jacinta, Virgem.



CÊNICOS:    10 Ovelhas, Jogo de
Botão,  Pão/Bolo,  3 Chicotes, 2 Rosários



02  -  SEQ 
03  -  EXTERNA/CHEGANDO NA VILA/CASA.



PERSONAGENS:  Jacinta, Francisco,
Lucia, Josué.



CÊNICOS:    10 Ovelhas,  03 Chicotes, 02 Rosários.



03  -  SEQ – 14 - 
EXTERNA/COVA DA IRIA.



PERSONAGENS:   Jacinta, Padre,
Bispo, Francisco, Lúcia, Virgem, Delegado, Mãe de Lúcia, Pai de Jacinta, Pai de
Lúcia, Josué, Tia de Lúcia, Lavadeira 01, Lavadeira 02, Lavadeira 03,
Carcereiro, Mulher 01, Mulher 02, Mulher 03, Mulher 04, Mulher 05, Mulher 06,
Homem 01, Homem 02, Homem 03, Homem 04, Homem 05, Povo 01, Povo 02, Povo 03,
Gente 01, Gente 02, Gente 03, Gente 04, Gente 05, Gente 06 = 37



CÊNICOS:  37 Guardas
Chuvas/Sombrinhas, Chuva Artificial, Terços/Rosários/Bíblias



 



II -  CIDADE DE ROSANDRO:



04 -  SEQ – 05  -  
EXTERNA/RUA/CIDADE:



PERSONAGENS:    Mãe de Lúcia, Mãe
de Jacinta.



CÊNICOS:



05 -   SEQ  -  07
-   EXTERNA/RUA/CIDADE:



PERSONAGENS:   Josué, Mulher 01,
Mulher 02, Mulher 03, Mulher 04, Mulher 05, Mulher 06, Homem 01, Homem 02,
Homem 03, Homem 04, Homem 05, Padre, Bispo, Delegado, Carcereiro,  Figuração  ( Muita Gente 
da Cidade local )



CÊNICOS:  Rosários.



06   -   SEQ – 09 
-  EXTERNA/RUA/CIDADE:



PERSONAGENS:  Jacinta, Francisco,
Lúcia,  - Núcleo com a Criançada local.



CÊNICOS:    Brinquedos para
Criançada



 



III -  CIDADE DE SANTA RITA:



07 -  SEQ – 08   - EXTERNA/RIO



PERSONAGENS:  Lucia, Mãe de Lúcia,
Lavadeira 01, Lavadeira 02, Lavadeira 03, 
Figurantes.



CÊNICOS:  Roupas, Bacias, Sabão.



                               



 



 



 



 



SET DE FILMAGENS:



 



INTERNAS:



 



III -  CIDADE DE SANTA RITA:



08 -   SEQ – 11  - 
IGREJA/INTERNA:



PERSONAGENS:  Mãe de Lúcia, Padre



CÊNICOS:  



09 -   SEQ -  13 
-   IGREJA/INTERNA:



PERSONAGENS:    Padre, Bispo,
Delegado, Jacinta, Francisco, Lúcia, Povo 01, Povo 02, Povo 03, Povo 04



CÊNICOS:



10 -  SEQ – 12  - 
DELEGACIA/INTERNA:



PERSONAGENS:   Delegado,  Josué, Padre, Carcereiro,  Jacinta, Francisco, Lúcia.



CÊNICOS:   Revolver,
Cartucheira  etc...



Obs:    Filmar
nas  duas Vilas da  Usina, 
fachada das casas, ( do outro lado do rio ).



 



IV -   CASA DA MÃE DE EDILETE:



11 -   SEQ -  01 
-  CASA DO PADRE/INTERNA.



PERSONAGENS:   Jornalista, Padre.



CÊNICOS:    Gravador, Caneta,
Papel.



12 -   SEQ -  15 
-  CASA DO PADRE/INTERNA.



PERSONAGENS:  Jornalista, Padre.



CÊNICOS:  Gravador, Caneta, Papel.



 



V -     GRANJA  - RANCHO 
MORENO:



13  -   SEQ – 04 
-   CASA DE
JACINTA/INTERNA/COSINHA



PERSONAGENS:   Jacinta, Francisco,
Pai de Jacinta, Mãe de Jacinta – Figurantes.



CÊNICOS:  Toália, Prato, Mesa, Comida,
Cadeiras, Colheres, etc...



14 -   SEQ -  06 -  
CASA DE LÚCIA/QUARTO



PERSONAGENS:  Mãe de Lúcia,Lúcia,
Josué



CÊNICOS:   Cama, Rosário, etc



15 -   SEQ -  10 
-   CASA DE LUCIA/QUALQUER LOCAL.



PERSONAGENS:  Josué, Mãe de Lucia,
Pai de Lúcia, Tia de Lúcia. Figurantes



Locações/Sets /Plano do Filme O Menino e o Mistério



 



DOMINGO 22 NOVEMBRO       -      CASA DE TIA KATIA - BAIRRO DOS
NOVAIS    -    9.00 as 17;00



01  -   SEG 07 - 
CASA DE ANA PAULA/INTERNA /DIA -  Personagens: Ana Paula, Rafaela, Claudia,
Geninho, Altamira, Pai de Ana Paula, Mãe de Ana Paula  - 
Material: Farda e Bolsa dos 
Alunos



02  -  SEQ  10
-  CASA DE ANA PAULA - INTERNA /DIA -        ( EXTERNA  COM INSERT DA RUA dos meninos)



Personagens: Altamira, Mãe de Ana Paula, Jonas, Mauricio, Rubão, Ana
Paula, Claudia



Material:  Farda e Bolsa dos
Alunos, Bicicleta.



03  -   SEQ 
13 -  CASA DE ANA PAULA -  INTERNA/DIA 
-    ( EXTERNA COM INSERT DA RUA
COM  Figurantes, Jornalistas, Tv,Jornal
etc)   -    Personagens:  Jonas, Ana Paula, Pai de Ana Paula, Mãe de na
Paula.  Material:  Carro, Bicicleta, Fardas dos meninos etc...



 



DOMINGO 29 DE NOVEMBRO  -      CENA NAS PRAÇAS DA CIDADE   -  
9:00   as  16:00



01  -   SEQ  
03  -  PRAÇA/RUA/EXTERNA/DIA  -  
Personagens: Rubão, Geninho, Mauricio, Rafaela, Claudia, Ana Paula -
Material: Fardas e Bolsa dos Meninos 
-  



02  -   SEQ 
04   -   PRAÇA/RUA/EXTERNA/DIA  - Personagens: Ana Paula, Geninho, Jonas,
Mauricio, Rafaela,Claudia - Material: Fardas e Bolsa dos Meninos -  



03 -   SEQ   05  
-   PRAÇA/RUA/EXTERNA/DIA - (Plano
01 e Plano 02)-  EXTERNA/TARDINHA (a
partir do Plano 03, as gravações  vão
acontecer na granja - Conjunto Geisel - 
Aqui vai aparecer luzes coloridas/Disco Voador)  - Personagens: Mauricio, Rafaela, Rubão,
Jonas -  Material: Fardas e Bolsa dos
Meninos



04 -  SEQ  10 - 
Continuação da Casa de Ana Paula - 
(aqui se passa na RUA/EXTERNA) - (Plano 04/Plano 05 Rua- do plano 06 vai
até o final da equencia  na RUA. Cenas
feita por Insert) -  Personagens:
Altamira, Mãe de Ana Paula, Jonas, Mauricio, Rubão, Ana Paula, Claudia  -  
Material: Farda e Bolsa dos Meninos.



 



DOMINGO  06  DEZEMBRO 
-   CENA NAS ESCOLAS -
INTERNA/EXTERNA/DIA-   (PLÁCIDO e  CILÁIO ) 9:00 
as   16:00



01  -   SEQ  02  -  
ESCOLA/INTERNA/DIA  - Personagens:
Professora, Cleonice, Rosalí, Tadeu, Geninho, Everton, Mateus,  e mais alunos. Material:  Bolsa e Farda etc. 



02 -  SEQ   08 
-    ESCOLA/EXTERNA/TARDINHA /CILAIO RIBEIRO
-  INCENDIO NOS FUNDOS DO COLÉGIO -   Personagens: Jonas, Abílio, Pipoqueiro, 3
meninos ateiam fogo escola, vários estudantes -    Material: 
fósforo, Bolsa e Farda dos alunos, carro pipoqueiro etc.



 



DOMINGO 13 DEZEMBRO -   9:00 as 16:00 -



01 -  SEQ 06 -  IGREJA/INTERNA -  Personagens: Padre, Jonas, Claudia, Geninho,
Mauricio, Ana Paula, Rafaela,Rubão.  
-  Material: Farda e Bolsa dos
meninos.



02 -    SEQ 11  - 
DELEGACIA DE POLICIA/INTERNA - 
Secdtur/Santa Rita -  Personagens:
Delegado, Abílio, Jonas, Padre



 



DOMINGO 20 DEZEMBRO -  9:00 as
16:00



01 -   SEQ 12 - BODEGA DO LULA -
BAR DOS ARTISTA - INTERNA/DIA -  Clube
Internacional Cruz das Armas -  Personagens: Altamira, Lula, Zeca, Laura,
Baleiro, Jornalista 01 e muitos artistas pra se apresentarem.



02 -  SEQ  01 - 
CASA DE GENINHO - INTERNA/ESTERNA/TARDE (Casa da Tia de Adriana- Bairro
dos Novais ) - Personagens:  Geninho, Pai
de Geninho, Mãe de Geninho -  Material:
Ferro p/passar roupas, Livros e Cadernos.



03 -  SEQ 14 -   RUA/NOITE - 
( ao lado do Posto de Saude - Bairro dos Novais) Tardinha. -  Fazer a descida e subida de Jonas do disco
Voador)



 



DOMINGO 27 DEZEMBRO -  9;00  as 16:00



01 -  SEQ 09 -  CONSULTORIO NEUROLÓGICO/INTERNA/DIA  - 
Personagens:  Jonas, Neurologista,
Pai de Ana Paula, Mãe de Ana Paula.



 



Admin · 57 vistos · Deixe um comentário
09 Maio 2016 


A Paraiba  X  Elpidio.



               O Teatro perde hoje,
17 de julho de 2012,  Elpídio Navarro,
aos 75 anos.



                Iniciou no movimento em 1.954 no teatro do
estudante, era ator, participou do filme “ Menino de Engenho” de Walter Lima Jr
em 1965, era  cenógrafo, iluminador,
dramaturgo, encenador, foi diretor do Teatro Santa Roza, em João pessoa, por
duas gestões.



                A classe artista lamenta
a perca deste grande ilustre das artes cênica Paraibana. Lembro-me um dia,
estava  na minha residência, quando
Fernando Mercês  chegou a minha procura,
era um dia de quinta feira, me convidando a participar de um espetáculo
teatral, tratava-se da peça  “ Domingo
Zeppelin ”  de Marcus Vinicius e que
tinha que estreiar na sexta feira. Foi pra mim um desafio e aceitei.  Estava eu no Teatro  Santa Roza  passando e repassando o texto, quando as 10
horas da noite chega o diretor. Era Elpidio Navarro, este foi meu primeiro
contacto com ele.



              Aquele vozeirão pesado, calmo,
chega pra mim e diz:  “meu amigo, ou você
é louco ou é apaixanado pelo teatro, pois o que tá fazendo é uma loucura,
bicho!... há  cerca de 3 meses estamos
ensaiando e tu chega hoje e já vai amanhã estreiar, isso é uma loucura, só sendo
doido, mesmo “. – ao que lhe respondi:  “
as duas coisas ao mesmo tempo “. E ele disse: “ então vamos ao ensaio “ e fomos
ensaiar e tudo deu certo e no dia seguinte aconteceu a estréia do espetáculo,  com casa lotada. – foi aí meu primeiro
contacto com este homem que tinha muito amor pelo teatro, tal qual minha
pessoa.



               Elpidio monta outro
espetáculo  “  Coiteiros “ de Zé Américo de Almeida, numa
Adaptação de Waldemar Solha, e avisa pro Fernando Mercês  ir me buscar: 
“ Vai lá e traz aquele doido “  –
o doido era eu, Jacinto Moreno –  “ quero
que ele trabalhe comigo de novo neste 
peça” .



                Apartir daì, minha
amizade com o elpidio, perdurou ate hoje, quando Deus o levou...



Adeus, Elpidio, até um dia...



Admin · 56 vistos · Deixe um comentário
09 Maio 2016 


Palmas para Jacinto Moreno



 



 



 



Poucas pessoas na homenagem que a Associação Cultural e
Recreativa Anjo Azul prestou ao videasta Jacinto Moreno, ontem no Sindicato dos
Jornalistas, na rua da Areia em João Pessoa. O produtor, sua família e alguns
atores dos filmes exibidos. No final, palmas para Jacinto e seu trabalho.
Humilde, Moreno agradeceu as presenças e participou de um bate-papo.



 



Eu não fui porque não saio à noite, mas daqui aplaudo meu
compadre Jacinto Moreno. Palmas para quem procura dar continuidade à tradição
do audiovisual na terra de Vladimir Carvalho, com esforço e persistência.



 



Diz a lenda que o costume do aplauso surgiu durante rituais
pagãos, onde se acreditava que o som servia para atrair a atenção dos deuses.
Daí o teatro grego puxou o costume, estimulando a platéia a bater palmas para
atrair os deuses das artes. Jacinto Moreno, um servidor abnegado do fazer
artístico, ator, dramaturgo, diretor de teatro, cinegrafista, roteirista e
editor de filmes merece calorosos e insistentes aplausos, em nome dos deuses da
inquietação artística desse rapaz de uma simplicidade quase franciscana.



Postado por TOCA DO LEÃO Nenhum comentário:



Projeto Cinema no Beco da Faculdade mostra os curtas de
Jacinto Moreno






Jacinto Moreno (de vermelho) concede entrevista na Rádio
Sanhauá AM, de João Pessoa, com o radialista Jorge Silva



 



 



Nesta sexta-feira, 14 de junho, acontece a exibição da
cinematografia de Jacinto Moreno dentro do projeto itinerante de exibição do
audiovisual paraibano. Os filmes serão mostrados a partir das 18 horas na sede
do Sindicato dos Jornalistas na rua da Areia, no centro de João Pessoa. O
realizador mostrará seus curtas “Taxi”, “Viventes” e “Uma luz no fim do túnel”.
A programação faz parte do projeto “Cinema no beco da Faculdade”. O público que
participa e interage com o projeto é amplo, contando com estudantes
secundaristas, universitários, cineastas, professores, jornalistas e formadores
de opinião.



 



“Cinema no Beco da Faculdade” tem a finalidade de formar
novas platéias para o debate sobre o audiovisual paraibano, ao tempo em que
chama a atenção dos gestores públicos municipal e estadual e tantos outros
envolvidos para o atual quadro em que se encontra o sítio histórico e os riscos
a que expõe seus moradores e seus problemas sociais.



 



No dia 05 de julho, às 19 horas, vai acontecer o lançamento
do novo filme de Jacinto Moreno, “Caminhante”, no Sebo Cultural que fica ao
lado da TV Correio. Em 20 de julho, às 19 horas, “Caminhante” será lançado na
Secretaria de Educação de Santa Rita, estando previstos lançamentos em Bayeux e
Itabaiana em datas a definir.



(Da Assessoria de Comunicação de Morenu´s Produções)



Admin · 3 vistos · Deixe um comentário
09 Maio 2016 


 



O QUE É UM   ROTEIRO?



O ROTEIRO É O PRIMEIRO DOCUMENTO QUE SE CONCEBE NO                                                                                                                                                                   LONGO
PROCESSO DE CRIAÇÃO DE UM FILME.                                                                                                              ELE É UM MANUSCRITO DE UMA CENTENA DE PÁGINAS                                                                                                                                       (ENTRE
90 E 120, EM MÉDIA) QUE SE APRESENTA COM UM                                                                                                                                       FORMATO ESPECÍFICO QUE PERMITE POUCAS
VARIAÇÕES.                                                                                                                                   ANTES DE CHEGAR A UMA VERSÃO DEFINITIVA, SE
SUCEDEM                                                                                                                                      NUMEROSAS
ETAPAS, COM MODIFICAÇÕES EXIGIDAS PELO                                                                                                                                         DIRETOR,
PRODUTORES, CONSULTORES, SCRIPTDOCTOR, ETC.                                                                                                                                          O ROTEIRO É UM PONTO DE PARTIDA PARA O
TRABALHO.                                                                                                                                  CONJUNTO
DE UM FILME, MAS NÃO É UM OBJETO ARTÍSTICO                                                                                                                                                      EM
SI MESMO.  O ROTEIRO DETERMINA A MANEIRA
COMO UMA HISTÓRIA                                                                                                                                                                         SERÁ
NARRADA E CONDICIONA AS ETAPAS SEGUINTES DA                                                                                                                                    REALIZAÇÃO
DE UM FILME: A FILMAGEM E A MONTAGEM.                                                                                                                                    TUDO SERÁ FILMADO A PARTIR DO QUE ESTÁ ESCRITO
NELE.                                                                                                                                          O ROTEIRO SÓ EXISTE PARA SER TRANSFORMADO EM
FILME.                                                                                                                                     ELE NÃO
EXISTE SOZINHO, NÃO TEM AUTONOMIA COMO PEÇA                                                                                                                                                      LITERÁRIA:
NÃO É LITERATURA. SUA ESCRITA DEVER SER CONCISA E CLARA, EVITANDO                                                                                                                                                                                        EFEITOS
DE ESTILO E TODAS AS OBSERVAÇÕES QUE NÃO                                                                                                                           TENHAM
RELAÇÃO DIRETA COM O QUE SE VÊ NA TELA.                                                                                                                         APENAS
SE ESCREVE NO ROTEIRO OS ELEMENTOS VISÍVEIS OU                                                                                                                                       AUDÍVEIS
NA TELA. ENTRE ELES ENCONTRAM-SE:                                                                                                              LOCAL
ONDE A AÇÃO ACONTECE: interior, exterior, locação, dia,                                                                                                                                   noite,
etc.



IMAGEM PERSONAGENS QUE ATUAM FÍSICA E VERBALMENTE;                                                                                                                                           TEMPO DE DURAÇÃO
DA AÇÃO;   OS FILMES ACONTECEM EM UMA DETERMINADA ORDEM
QUE                     INDUZEM O OLHAR
DO ESPECTADOR A UMA CONCLUSÃO.                                                                                                                                                          PARA
ALCANÇÁ-LA É PRECISO PLANEJAMENTO.                                                                                                                  O
ROTEIRO É A PRIMEIRA PEÇA DESSA “INDUÇÃO”.



O QUE FAZ O ROTEIRISTA  -  O ROTEIRISTA PODE SER O AUTOR, O COLABORADOR,
O                                                                                                                                                                                      ADAPTADOR
E/OU O DIALOGUISTA DE UM ROTEIRO.                                                                                                                        PODE ESCREVÊ-LO DE MANEIRA TOTAL OU PARCIAL;                                                                                                                      SOZINHO
OU EM PARCERIA COM OUTROS ROTEIRISTAS E/OU                                                                                                                             COM
O DIRETOR.    PODE APORTAR IDEIAS OU AJUDAR A DAR
CONSISTÊNCIA ÀS                                                                                                                                                                       IDEIAS
DE OUTROS.  O ROTEIRISTA AJUDA O DIRETOR
A DAR FORMA A SUA IDEIA, A                                                                                                                                                                                       VER
CLARO SEUS DESEJOS, A DESCOBRIR SUA HISTORIA.                                                                                                                                   ELE USA A PALAVRA PARA SE FAZER ENTENDER EM
OUTRO                                                                                                                             CÓDIGO,
QUE É O CÓDIGO AUDIOVISUAL.



O QUE É DRAMATURGIA?     -  DRAMA = AÇÃO;                                                                                                              ARISTÓTELES DEFINIA DRAMATURGIA COMO A
ORGANIZAÇÃO                                                                                                                                                         DE
AÇÕES HUMANAS DE FORMA COERENTE, PROVOCANDOFORTES EMOÇÕES OU UM ESTADO
IRREPRIMÍVEL DE GOZO OU   MARAVILHAMENTO
(NOÇÃO DE CATARSE).                                                                                                                                                                   DRAMATURGIA É UMA INVESTIGAÇÃO DO TEXTO.                                                                                                                   É UM CONJUNTO DE TÉCNICAS PARA SE ORGANIZAR                                                                                                                     EFICIENTEMENTE
UM TEXTO. MAS O QUE SIGNIFICA DIZER                                                                                                                           EFICIENTEMENTE?   DRAMATURGO É O RESPONSÁVEL POR EXTRAIR TODAS
AS                                                                                                                                                                                   POSSIBILIDADES
NARRATIVAS DO TEXTO;                                                                                             O
PONTO DE PARTIDA DE UM TEXTO DRAMÁTICO É A                                                                                                                          EXISTÊNCIA
DE UM CONTEÚDO A SER EXPRESSADO.                                                                                                                               ESSE CONTEÚDO PODE (E DEVE) SER BUSCADOS
PELOROTEIRISTAS POR MEIO DE IDEIAS, SENSAÇÕES, EMOÇÕES,  LEMBRANÇAS E OBSERVAÇÕES. É QUE CHAMAMOS
PROCESSO                                                                                                                                                        CRIATIVO.
TEXTO É TANTO AQUILO QUE SE DIZ COMO O QUE NÃO SE DIZ,                                                                                                                                                                   MAS
APARECE DE OUTRA FORMA, COMO GESTO, EXPRESSÃO,                                                                                                                                            ENTONAÇÃO OU
DESCRIÇÃO. É O QUE CHAMAMOS SUBTEXTO.                                                                                                                                                  O CONTEÚDO É O QUE ESTÁ POR TRÁS DE UM TEXTO                                                                                                                            DRAMÁTICO.
ELE DEVE CONTER A IDEIA CENTRAL.                                                                        
ESCREVER UM ROTEIRO É LIDAR COM UMA HISTÓRIA,
UMA                                                                                                                                             TRAMA,
UM RELATO E TRATAR DE DAR A ELA UM SENTIDO                                                                                                                       DRAMÁTICO.  ESTE SENTIDO ESTÁ ARTICULADO A PARTIR DO QUE                                                                                                                                                  CHAMAMOS
DE “PREMISSA DRAMÁTICA”.                                                                                                                   A
PREMISSA É O CONCEITO DA HISTÓRIA, É O QUE ESTÁ POR                                                                                                                                           TRÁS
DELA E QUE EMERGE À MEDIDA QUE A TRAMA AVANÇA.                                                                                                                                            A PREMISSA É UMA DECISÃO SOBRE A QUAL
BASEIAM-SE                                                                                                                               TODAS
AS OUTRAS DECISÕES TOMADAS AO LONGO DO                                                                                                                       PROCESSO
DE ESCRITURA.  É O QUE DÁ UNIDADE E
PERTINÊNCIA AO FILME.                                                                                                                                                      APREMISSA      -  
ESSE CONCEITO SUSTENTA E PERMITE AO AUTOR MOSTRAR                                                                                                                                                                           OS
MOTIVOS OCULTOS DA TRAMA QUE ELE CRIOU;                                                                                                                      DITOS MOTIVOS ESTÃO POR TRÁS DE SEUS
PERSONAGENS,                                                                                                                                        OBJETIVOS,
OBSTÁCULO E SUA RESOLUÇÃO DE CONFLITOS.                                                                                                                                             A PREMISSA É UM PRINCÍPIO FUNDADOR, UM
ARGUMENTO, UM                                                                                                                                                   PONTO
DE VISTA SOBRE O TEMA QUE O AUTOR QUE                                                                                                                   ESCOLHEU TRATAR.     O caso“Romeu e Julieta”   (deWilliam Shakespeare)                                                                                                                                                                      PREMISSA:  Um  
grande amor desafia até mesmo morte                                                                                                            Outrosexemplosclássicos:
PODEROSO  CHEFÃO  de   Francis.
F .Coppolla (A família                                                                                                             está
acima 
de tudo)      GUERRA  NAS ESTRELAS de George Lucas (Todo homem deve
enfrentar seus medos)  -   MALVADA de Joseph Mankevick (A more mais importante
que dinheiro e fama)                                                                                                                                                                          HARRYP  nolivrodeJ.K.Rowlings                                                                                                          (Aceite
seudome saiba    uTlizá-­-lo.Casocontrarioelepodelhedestruir).    



ELEMENTOSDADRAMATURGIA



• TEMA E
PREMISSA; • ESTRUTURA




PERSONAGEM; • CENA



• CONFLITO;
• SEQUENCIA




AMBIENTAÇÃO; • DIÁLOGO



OCONFLITO   - O CONFLITO É O
ELEMENTO BÁSICO DA DRAMATURGIA;                                                                                                                                                        ENTENDEMOS POR CONFLITO TODO TIPO DE SITUAÇÃO
OU                                                                                                                     SENTIMENTO
QUE ATUAM CONTRA OS OBJETIVOS DE ALGUÉM;                                                                                                                                               É O CONFLITO O QUE MOVE AS PESSOAS E POR ISSO                                                                                                                        TAMBÉM
OS PERSONAGENS: FOME, FRIO, DOR, TRISTEZA,                                                                                                                          MEDO,
ETC.  A VIDA É UMA SUCESSÃO DE PROVAS, DE
TESTES;                                                                                                                                                    O CONFLITO GERA: SENSAÇÕES (ASPECTO
FISIOLÓGICO) OU                                                                                                                                                 SENTIMENTOS
(ASPECTO PSICOLÓGICO)



 OCONFLITO   -   A PRESENÇA DO CONFLITO APORTA VERACIDADE,                                                                                                                                                     VEROSSIMILHANÇA,
CREDIBILIDADE AO FILME.                                                                                                                  É FUNDAMENTAL QUE ESSE CONFLITO SEJA PERCEBIDO
PELO                                                                                                                                            ESPECTADOR
(INTERNO VS. EXTERNO). A DRAMATURGIA DEVE PROVOCAR NO ESPECTADOR                                                                                                                      EMOÇÕES
QUE TENHAM ORIGEM NO CONFLITO OU EM SUA                                                                                                                                 PERSPECTIVA.    ATRAVÉS DE UM FILME O ESPECTADOR SE PERMITE
SENTIR E                                                                                                                                                                               CONTROLAR EMOÇÕES. PODE ODIAR, MATAR,
ARREPENDER,                                                                                                                                          APRENDER
A SUPERAR MEDOS, FRUSTRAÇÕES, ETC.



 MECANISMOS DO CONFLITO     -  
DIZER CONFLITO SIGNIFICA DIZER OPOSIÇÃO, OBSTÁCULO.                                                                                                                                                                                              
TANTO PODE SER UM INDIVÍDUO, UM OBJETO, UMA SITUAÇÃO,                                                                                                                                                 
UM CARÁTER, UM ELEMENTO NATURAL, OU MESMO UMA                                                                                                                            SENSAÇÃO
OU UM SENTIMENTO.       O CONFLITO NASCE
DA OPOSIÇÃO ENTRE UM OBJETIVO E UM



OBSTÁCULO.



 TIPOS DE CONFLITOS HOMEM versus
HOMEM                                                                                                    HOMEM
versus “DEUS”                                                                       
HOMEM versus NATUREZA



PERSONAGEM + OBJETIVO  +
OBSTÁCULO                                                                                                        CONFLITO



=                EMOÇÃO      -    
PERSONAGEM                                                                                                  
+ OBJETIVO       +  
OBSTÁCULO   +    CONFLITO =                                                                                             
EMOÇÃO



CONFLITO E IDENTIFICAÇÃO             
-    A DRAMATURGIA É UMA
FERRAMENTA PARA COLOCAR O



ESPECTADOR NO LUGAR DOS PERSONAGENS E APRENDER                                                                                                                                
COM ELES SOBRE O SER HUMANO.     
O ESPECTADOR SE INTERESSA PELO PERSONAGEM QUE VIVE                                                                                                                                                                                                    O
CONFLITO. POR ISSO ELE É CHAMADO “PROTAGONISTA”.                                                                                                                                            O
CONFLITO EMPURRA O ESPECTADOR A ESTABELECER                                                                                                             
VÍNCULO COM O
PROTAGONISTA.     QUANDO O CONFLITO QUE
VIVE UM PROTAGONISTA SEJA                                                                                                                                                                            
PERCEBIDO PELO ESPECTADOR,
CRIA-SE ENTRE ELES O QUE                                                                                                                      
CHAMAMOS “IDENTIFICAÇÃO”.



CONFLITO E PERSONAGEM   -   O CONFLITO É UMA FERRAMENTA PARA CRIAR                                                                                                                                                                  
PERSONAGENS.  O CONFLITO OBRIGA
QUE OS PERSONAGENS TOMEM                     
POSIÇÃO
DIANTE DELES E ASSIM REVELEM SEU VERDADEIRO                                                                      
CARÁTER.     ASSIM SE DISTINGUE O ESPERTO DO BOBO, O
OTIMISTA DO                                                                                                                                  
PESSIMISTA, O
ALTRUISTA DO EGOÍSTA, ETC.                                                                                                      
O CONFLITO EVIDENCIA SUA PERSONALIDADE, SEUS                                                                                                            VALORES
MORAIS MAIS PROFUNDOS.                                                                                       
DIANTE DE SEUS DILEMAS OS PERSONAGENS MOSTRAM                                                                                                  QUEM
REALMENTE SÃO.



CONFLITO E ESTRUTURA        -    NÃO BASTA QUE O CONFLITO SEJA INTENSO EM SI
MESMO. É                                                                        
PRECISO
QUE ELE SEJA EXPOSTO CORRETAMENTE.                                                                                                     
PARA ISSO O AUTOR
DEVE FAZER COM QUE O PÚBLICO VIVA A                                                                                                                                      
MESMA EXPERIÊNCIA DO PERSONAGEM.   
SEU CONFLITO INTERNO DEVE SER DEMONSTRADO ATRAVÉS   DE UM CONFLITO EXTERNO (ARTIFÍCIO).                                                                                                                    
POR ISSO, O AUTOR PRECISA DOSAR A INFORMAÇÃO –                                                                                                                       ESTRUTURÁ-LA.
PENSAR A EVOLUÇÃO DO CONFLITO JUNTO
COM O ARCO DO                                                                                                                                                                         PERSONAGEM.
O QUE ELE APRENDE?



ESTRUTURADRAMÁTICA       -   ARISTÓTELES: O DRAMA DEVE APRESENTAR UMA
ÚNICA AÇÃO                                                                   
QUE
PODE SER COMPOSTA EM PARTES ORGANICAMENTE                                                                                      
LIGADAS
ENTRE SI. A ESSAS PARTES CHAMAMOS “ATOS”.                                                                                                                           
1. PRÓTASE (EXPOSIÇÃO E ENCAMINHAMENTO DOS                                                                                                               ELEMENTOS
DRAMÁTICOS)    2. EPÍTASE (COMPLICAÇÃO E
ESTREITAMENTO DO NÓ)                                                                           
3.
CATÁSTROFE (RESOLUÇÃO DO CONFLITO E VOLTA AO                                                                                             
NORMAL)   ATOS = DIVISÃO DA ESTRUTURA DE UM FILME QUE
CONTENHA                                                                                                                                                                   
PELO MENOS TRÊS PARTES:  1.
APRESENTAÇÃO    2. DESENVOLVIMENTO                                                                                                                                                
3. CONCLUSÃO



ELEMENTOSDAESTRUTURA      -    DETONANTE: ACONTECIMENTO DECISIVO
APRESENTADO NO                                                                                                                                                                                      
PRIMEIRO ATO E QUE DÁ INÍCIO AO DESENVOLVIMENTO DO                                                                                                                       
ARGUMENTO.   • CRISE: MOMENTO DO ARGUMENTO
EM QUE O PROTAGONISTA                                                                                                                                                                                       TOMA
(OU NÃO) A DECISÃO DE RESOLVER O CONFLITO.                                                                                                                                          •
CLÍMAX: É O PONTO CULMINANTE E DE MAIOR TENSÃO DA                                                                                                                                                  AÇÃO DRAMÁTICA. NELE A DECISÃO DO
PROTAGONISTA É                                                                                                                                            COLOCADA
EM RISCO. NÃO PRECISA SER VIOLENTO PARA SER                                                                                                                                 EFETIVO.
• RESOLUÇÃO: CHAMADA TAMBÉM
“DESENLACE”. É O                                                                                                                                                        RESULTADO
DO CONFLITO. PODE SER EVIDENTE OU                                                                                                                        SUGESTIVA.
TEM RELAÇÃO DIRETA COM A PREMISSA DO FILME.                                                                                                                                        (ABERTA
OU FEHADA)



PERSONAGEM      -    DEFINIÇÃO: DO GREGO “PERSONA”. PODE SER
UM                                                                                                                                                                 PROTAGONIS  CO-PROTAGONISTA, ANTAGONISTA,                                                           
OPONENTE,
COADJUVANTE, ETC. (REAL OU INANIMADO)                                                                                                                       
FUNÇÃO: CONSISTE EM APORTAR CARACTERIZAÇÕES                                                                                                                                              
NECESSÁRIAS PARA GERAR CREDIBILIDADE À TRAMA.                                                             
CARACTERIZAÇÃO:
É A SOMA DE TODAS AS QUALIDADE                                                                                                                             
OBSERVÁVEIS DE UM PERSONAGEM. UMA COMBINAÇÃO QUE                                                                                                                                           
FAZ COM QUE O PERSONAGEM SEJA ÚNICO.                                                                   
A
VERDADEIRA PERSONALIDADE DE UM PERSONAGEM ESTÁ                                                                                                                                                 
OCULTA POR TRAS DE SUA “MÁSCARA”.   
ESSA MÁSCARA É UMA PISTA IMPORTANTE PARA O QUE                                                                                                                                                                           
POSTERIORMENTE SE REVELARÁ POR TRAS DELA.



PERSONAGEM       -   ELEMENTOS QUE COMPÕE O PERSONAGEM:                                                                                                                                                       
1. NECESSIDADE DRAMÁTICA: O QUE O PERSONAGEM QUER                                                                                                                                    
AO LONGO DA HISTÓRIA E OS OBSTÁCULOS QUE SURGEM EM                                                
SEU
CAMINHO.   2. PONTO DE VISTA: SUA MANEIRA
DE VER O MUNDO. SERVE                                                                                                        
PARA
ENTRAR EM CONFLITO COM OUTROS PERSONAGENS.                                                                                                                        
GERA IDENTIFICAÇÃO.     3. MUDANÇA: TODO PERSONAGEM APRENDE ALGO. E SE
NÃO                                                                                                                                                                                     
APRENDE, PROVOCA O ESPECTADOR A SE PERGUNTAR OS                                                                                                                                         
MOTIVOS DESSA NÃO TRANSFORMAÇÃO.         
4. ATITUDE: DIANTE DE SITUAÇÕES LIMITES. REVELA SEU   CARÁTER, SUA MÁSCARA CAI.



PERSONAGEM       -      BIOGRAFIA DOS PERSONAGENS: O ROTEIRISTA
PRECISA                                                                                                                                                           
SABER O HISTÓRICO
DE SEU PERSONAGEM PARA DEFINIR O                                                                                                                                   
MOMENTO DE SUA TRAJETÓRIA QUE VAI RELATAR NO FILME.                                                                                                                                          SÃO
TRÊS SUAS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS:                                                                                    
1.  PERFIL FISICO: IDADE, ALTURA E TODAS AS                                                                                                              
CARACTERÍSTICAS FÍSICAS QUE CONCORDE COM SUAS                                                                                                                      AÇÕES
(MESMO AS DEFICIÊNCIAS).  2.  PERFIL SOCIOLÓGICO: QUÉM É? DE ONDE VEM? QUEM
É                                                                                        
SUA
FAMÍLIA? COMO FALA? SUA PROFISSÃO? SEUS                                                                                                                
VALORES? SUA SEXUALIDADE? E TUDO O QUE DETERMINE                                                                                                                            
COMO O PERSONAGEM PENSA E ATUA.  
3.    PERFIL PSICOLÓGICO: UNIÃO
DOS PERFIS FÍSICO E                                                                                                                                                                                  
SOCIOLÓGICO E QUE DETERMINAM SUA CONDUTA: É                                                                                                                              VALENTE?
CORAJOSO? MEDROSO? ROMÂNTICO?                                                                                                                     
EXALTADO? CALADO? FALANTE? GROSSEIRO? SIMPÁTICO?                                                                                                                          
EXAGERADO? MENTIROSO?



COMPOSIÇÃO DO PERSONAGEM: -   1. O
QUE QUER?   2. POR QUE QUER  3. O QUE FAZ PARA CONSEGUIR O QUE QUER?    4. O QUE O DETÉM?                                                                                                                   5.
QUAIS SÃO AS CONSEQUÊNCIAS DE SUAS DECISÕES                                                                                                                       PROTAGONISTA  -     •
É O PERSONAGEM COM MAIS DIMENSÕES E PROFUNDIDADE                                                                                                                                                                                         DENTRO
DA HISTÓRIA. É AQUELE QUE SOFRE O CONFLITO                                                                                                                              PRINCIPAL
E TEM A POSSIBILIDADE DE SE TRANSFORMAR.                                                                                                                                     •
ELE NÃO DEVE SER EM SEU INTERIOR APENAS O QUE PARECE                                                                                                                                               SER
SUPERFICIALMENTE. DEVE SE REVELAR AOS POUCOS.                                                                                                                                       •
É O PROTAGONISTA QUE INSPIRA A CRIAÇÃO DE TODOS OS                                                                                                                                   OUTROS
PERSONAGENS.    • OS SECUNDÁRIO E/OU
CO-PROTAGONISTAS FORMAM PARTE                                                                                                                                                                                               DA
HISTÓRIA ATRAVÉS DAS RELAÇÕES QUE ESTABELECEM                                                                                                                                     COM
O PROTAGONISTA E AJUDAM A DELINEAR A NATUREZA                                                                                                                                 COMPLEXA
DO PRINCIPAL.    • OS SECUNDÁRIOS PODEM
SER DINÂMICOS OU OPONENTES. PERSONAGEM   TRIDIMENSIONAL
1. O QUE FALA?  2. O QUE FAZ? 
3. O QUE FALAM SOBRE ELE? COMPLEXIDADE  (INTERESSE DO PÚBLICO) P ERSONAGEM COMPLEXO:  O QUE O PERSONAGEM QUER? VS. O QUE PERSONAGEM
PRECISA?  ARCO DE TRANSFORMAÇÃO
APRESENTAÇÃO PERSONAGEM    -   • A CENA DE APRESENTAÇÃO MARCA O TOM, O
REGISTRO, A MÁSCARA SOB A QUAL O PERSONAGEM SE APRESENTA.  • É A PRIMEIRA PISTA DE SEU COMPORTAMENTO. • O
QUE DIZ UM PERSONAGEM SOBRE SI MESMO E SOBRE OS OUTROS PODE SER VERDADE OU NÃO.
• O ESPECTADOR SÓ TERÁ CERTEZA DO CARÁTER DOS PERSONAGENS QUANDO FOR TESTEMUNHA
DE SUAS AÇÕES E DECISÕES DIANTE DE SITUAÇÕES EXTREMAS. • OS PERSONAGENS SE
DEFINEM UNS AOS OUTROS FORMANDO UMA CONSTELAÇÃO DE CARÁTERES.  -   AMBIENTAÇÃO(ou composição)• TODA HISTORIA DEVE
CUMPRIR SUAS PRÓPRIAS NORMAS DE PROBABILIDADE. • OS ACONTECIMENTOS LIMITAM AS
POSSIBILIDADES E PROBABILIDADES MARCADAS PELO UNIVERSO INTERNO DE UM FILME.  • DEPOIS DE ESTABELECIDOS OS PRINCIPIOS
CAUSAIS, É IMPORTANTE RESPEITÁ-LOS OU, DO CONTRÁRIO, PERDE-SE A CREDIBILIDADE E
A CONFIANÇA DO ESPECTADOR.  • DESDE A
PRIMEIRA IMAGEM DO FILME, O PÚBLICO INSPECIONA O UNIVERSO FICTÍCIO DISTINGUINDO
O POSSÍVEL DO IMPOSSÍVEL, O PROVÁVEL DO IMPROVÁVEL. • SÃO AS “LEIS” DE CADA
FILME. POR ISSO É PRECISO RIGOR. AMBIENTAÇÃO(ou composição) CRIAR UM MUNDO
LIMITADO E RECONHECÍVEL GERA LÓGICA E CONVICÇÃO. A AMBIENTAÇÃO DE UMA HISTÓRIA
POSSUI DIFERENTES NÍVEIS:   1) PERÍODO:
LUGAR TEMPORAL QUE OCUPA A HISTÓRIA. A historia acontece em um mundo
contemporáneo?  Em outra época histórica?
Em  um futuro hipotético?    2) DURAÇÃO: EXTENSÃO DA HISTÓRIA ATRAVÉS DO
TEMPO.  Quanto tempo da vida dos
personagens são contados na trama?   Décadas?
Anos? Meses? Dias? Horas?    3)
LOCALIZAÇÃO: ESPAÇO EM QUE A HISTÓRIA ACONTECE.    É sua geografia específica, a cidade onde
acontece, o bairro, o edifício ou casa, o quarto e tudo o que determine seu
espaço.  CENA E SEQUÊNCIA -   • “CENA” É A MENOR UNIDADE DE AÇÃO DE UM
FILME.    • TODA CENA DEVE FUNCIONAR COMO
UM MICROFILME DENTRO DO FILME, OU SEJA: DEVER TER SUA PRÓPRIA PREMISSA
(OBJETIVO), SEU PROTAGONISTA, CONFLITO, ETC.   • UMA BOA CENA RESPONDE PERGUNTAS FORMULADAS
NAS CENAS ANTERIORES E…  • FORMULA
PERGUNTAS PARA SEREM RESPONDIDAS NAS CENAS SEGUINTES.     • GERA-SE, ASSIM, UMA RELAÇÃO DE CAUSA E
EFEITO ENTRE AS CENAS, MOVIMENTANDO A ATENÇÃO DO ESPECTADOR, QUE  PERMANECERÁ INTERESSADO NO AVANÇO DA TRAMA.   -  CENA
E SEQUÊNCIA   • SÃO ELEMENTOS IMPORTANTES
DE UMA CENA:   1. RITMO: É IMPRESCINDÍVEL
EMPREGAR RITMO PARA GUIAR A ATENÇÃO E A IMAGINAÇÃO DO ESPECTADOR. A BOA CENA
CONSTRÓI UM RITMO QUE “ACOSTUMA” E PREPARA O PÚBLICO PARA O QUE VIRÁ A SEGUIR.  SE A CENA FOR COERENTE EM SEU RITMO, A
COMPREENSÃO DAS CENAS SEGUINTES SERÁ SUAVE E EFICIENTE. O ESPECTADOR ESTARÁ
“PREPARADO”.   2. SUBTEXTO: É A VIDA
OCULTA DEBAIXO DO DRAMA. SÃO OS SENTIMENTOS E PENSAMENTOS (CONHECIDOS E
DESCONHECIDOS) POR TRAS DAS AÇÕES DOS PERSONAGENS.  CENA  E SEQUÊNCIA  3. CONTRADIÇÃO/CONTRASTE: UMA BOA CENA
APROVEITA NOVOS PONTOS DE VISTA E SITUAÇÕES PARA CAUSAR ESTRANHAMENTO E ATRAIR
O INTERESSE DO PÚBLICO. ENTRE UM LUGAR E UM ACONTECIMENTO OU ENTRE UM LUGAR E
UM PERSONAGEM, POR EXEMPLO.  4.  ELIPSES: SÃO AVANÇOS TEMPORAIS ENTRE DUAS OU
MAIS CENAS. OMISSÕES DE INFORMAÇÃO QUE O ESPECTADOR  PODE COMPLETAR MENTALMENTE. AS ELIPSES EXISTEM
PARA ACELERAR O RITMO, EVITAR   REPETIÇÕES
E OBVIEDADES, ENGANAR POSITIVAMENTE O ESPECTADOR.  CENA E SEQUÊNCIA -   5. IRONIA DRAMÁTICA: QUANDO O ESPECTADOR
SABE MAIS QUE OS PERSONAGENS, PROVOCANDO ASSIM A PERSPECTIVA DO CONFLITO E
INCREMENTANDO OSUSPENSE/TENSÃO. PODE SER “TEMIDA” OU “DESEJADA”  6. SET UP E PAY OFF: SET UP É UMA “PROMESSA”
FEITA E PAY OFF UMA “PROMESSA” CUMPRIDA. QUANDO O ROTEIRISTA ESTABELECE UM
CÓDIGO, CRIA UMA EXPECTATIVA QUE DEBE SER ESCLARECIDA MAIS ADIANTE. O BOM
ROTEIRO ADIANTA SOLUÇÕES SEM EVIDENCIAR A MANIPULAÇÃO. CENA E SEQUÊNCIA   • A “SEQUENCIA” É UMA UNIDADE DE AÇÃO MAIOR
E MAIS COMPLEXA.  • SE DEFINE POR UM
CONJUNTO DE CENAS AGRUPADOS POR UM SENTIDO COMUM E QUE ACONTECE EM DIFERENTES
LOCAÇÕES (GERALMENTE), OMITINDO MOMENTOS INÚTEIS.   • TODA SEQUÊNCIA POSSUI UMA “CENA NÚCLEO”.  • ESSE NÚCLEO É A “PREMISSA”, O “OBJETIVO”
QUE O AUTOR RETENDE ATINGIR, MAS PRECISA PREPARAR O ESPECTADOR  PARA NÃO TRANSMITIR AS INFORMAÇÕES DE FORMA
ABRUPTA.   •  AO REDOR DE CADA NÚCLEO HÁ UMA SÉRIE DE CENAS
DE PREPARAÇÃO QUE AVANÇAM NA DIREÇÃO DESEJADA, DOSANDO A INFORMAÇÃO ATÉ SEU
CONHECIMENTO PLENO E EFETIVO. TIPOS DE CENA -  
• DE ABERTURA  • CENA OBRIGATÓRIA
• DE APRESENTAÇÃO • CENA RETROSPECTIVA • DE TRANSIÇÃO (FLASHBACK) • DE DESCANSO
• CENA PROJEÇÃO (FLASHFORWARD) • DE PREPARAÇÃO • CENA NÚCLEO • ENTRE OUTRAS…   -   CENA
E EXPOSIÇÃO -  O QUE CARACTERIZA A CENA
SÃO OS SEGUINTES ELEMENTOS:  1. DESEJO  2. OBJETIVO  3. AÇÃO  4. CONFLITO  5. MUDANÇA UMA CENA É UMA HISTÓRIA EM
MINIATURA.   EXPOR SIGNIFICA MOSTRA FATOS
– INFORMAR SOBRE O AMBIENTE, A BIOGRAFIA, A CARACTERIZAÇÃO E QUALQUER ELEMENTO
FUNDAMENTAL PARA QUE O PÚBLICO POSSA ACOMPANHAR E COMPREENDER OS ACONTECIMENTOS
DA TRAMA. CENA E EXPOSIÇÃO - • A BOA EXPOSIÇÃO SIGNIFICA EXPOR SEM EXPLICITAR.
• PARA ISSO, É PRECISO QUE OS PERSONAGENS TENHAM CONFLITOS SUPERFICIAIS E
PROFUNDOS. • A BOA EXPOSIÇÃO REVELA EM SUA PROFUNDIDADE QUE OS PERSONAGENS TEM
COISAS A PERDER. NÃO MOSTRAM COMO PENSAM E O QUE QUEREM DE MANEIRA DIRETA. •
NÃO CONTE, MOSTRE: TRANSMITA INDIRETAMENTE OS FATOS NECESSÁRIOS. DRAMATIZE A
EXPOSIÇÃO. CRIE UM ARTIFÍCIO. • A ARTE DA EXPOSIÇÃO CONSISTE EM DRAMATIZAR A
COMUNICAÇÃO DA INFORMAÇÃO ATRAVÉS DE AÇÕES E ARTIFÍCIOS. • DRAMATIZAR =
TRANSMITIR A TRAVÉS DE AÇÕES;   -  CENA E EXPOSIÇÃO - • O BOM ROTEIRO CRIA
MOTIVAÇÃO PARA O DIÁLOGO MAIOR QUE OS FATOS. USA O ARTIFÍCIO PARA IR ALÉM DELE.
• AO LONGO DA ESTRUTURA, É IMPORTANTE ESPALHAR A EXPOSIÇÃO PARA QUE ELA GANHE
EM ENTENDIMENTO. • RETER A INFORMAÇÃO CRIA UM PADRÃO PROGRESSIVO QUE MANTÉM A O
INTERESSE E A ATENÇÃO DO ESPECTADOR,GERANDO PEQUENOS MISTÉRIOS. • O QUE É DITO
ESCONDE O QUE NÃO PODE SER DITO. • O BOM ARTIFÍCIO FAZ O PÚBLICO ENXERGAR O QUE
HÁ PORDEBAIXO DO QUE ESTÁ SENDO DITO – SUBTEXTO. • É A NOÇÃO DE QUE O
PERSONAGEM SEMPRE REVELA ALGO DE SI AO FALAR SOBRE QUALQUER ASSUNTO.  -  ANÁLISE
DE CENA - • O QUE NOS CONTA O ESPAÇO?  O
QUE NOS CONTAM OS SONS? • O QUE NOS CONTAM OS PERSONAGENS E SUAS AÇÕES? • QUEM
É O PROTAGONISTA DA CENA? • QUAIS SÃO AS REVELAÇÕES? • QUAL É A PERGUNTA
DRAMÁTICA FORMULADA? • QUAL É O CONFLITO?• QUAL É A MUDANÇA QUE A CENA PROVOCA
(NOÇÃO DE “BEATS” OU “GOLPES DE EFEITO”)?   -  DIÁLOGO
- • DO GREGO “DIALOGOS” – DISCURSO ENTRE DUAS OU MAIS PESSOAS. • GERALMENTE UM
INTERCÂMBIO VERBAL. • O CRITÉRIO ESSENCIAL DO DIÁLOGO É O INTERCAMBIO E A
REVERSIBILIDADE DA COMUNICAÇÃO. • O DIÁLOGO FAZ COM QUE A HISTÓRIA AVANCE. SUA
RESPOSTA NÃO PRECISA SER IMEDIATA, MAS SUA SOMA LEVA ADIANTE A AÇÃO. • O
DIÁLOGO COMUNICA INFORMACIÓN (Textual e subtextual). • ESTA INFORMAÇÃO DEBE VIR
NATURALMENTE DE DENTRO DA AÇÃO – NOÇÃO DE ARTIFÍCIO.  - DIÁLOGO• O DIÁLOGO REVELA DE MANEIRA
CRESCENTE O PERFIL PSICOLÓGICO DOS PERSONAGENS. • MUITAS VEZES OS PERSONAGENS
DIZEM TODO O CONTRÁRIO DO QUE PENSAM. MENTEM. REVELAM ASSIM QUE SÃO. • OS
PERSONAGENS TRAEM A SI MESMOS EM SEUS DIÁLOGOS. • O DIÁLOGO ESTABELECE RELAÇÃO
ENTRE OS PERSONAGENS. OFERECE UMA DIMENSÃO MAIS PRODUNDA. • CRIA PERSONAGENS DE
CARNE E OSSO NA MANEIRA E NO TOM DO FALAR. DIÁLOGOS INCOMPLETOS, NATURALISTAS.
• REVELA CONFLITOS E OS DIFERENTES PONTOS DE VISTA • O DIÁLOGO REVELA ESTADOS
EMOCIONAIS. • O PIOR DIÁLOGO É AQUELE EM QUE O PERSONAGEM DIZ O QUE SENTE E
PENSA. NÃO HÁ SUBTEXTO: “ESTOU MUITO BEM”.



• O DIÁLOGO REVELA ANTECEDENTES.



• COMPLEMENTA A AÇÃO.



• TRANSMITE INDIRETAMENTE O TEMA.



• LOCALIZA A AÇÃO SEM PRECISAR SER DIDÁTICO.



 



09 Maio 2016 


Locações do
filme
:  O Menino e o Mistério



01  -  Seq
01  - 
Casa de Geninho - Interna/Externa -  
Disco Voador -



Personagens: Geninho/Pai de Geninho/Mãe de Geninho



Casa de Josefa - 
9.88779065 - Tia Adriana -  Bairro
dos Novais - 0k



02  -  Seq
02 -  Escola - Interna



Personagens: Professora /Cleonice/ Rosali/Tadeu/Geninho -  Everton, Mateus, todos alunos.



Escola Plácido de Castro - Bairro dos Novais -   32336487 - 0k



03  -  Seq
03  - 
Banco/Praça/Rua - Externa.



Personagens
Rubão/Geninho/Mauricio/Rafaela/Claudia/Ana Paula



Praça Independência 
-  0k



04  -  Seq
04 -  Rua/Banco/Praça - Externa



Personagens: Ana Paula/Geningo/Jonas/Mauricio/Rafaela/Claudia



Praça Independência - 0k



05  -  Seq
05 -  Rua/Banco/Praça/local determ./Garagem
escura -  Externa - Disco Voador



Personagens:  
Mauricio/Rubão/Rafaela/Jonas



Praça Independência 
-  0k



06  -  Seq
06  - 
Igreja/Interna



Personagens
Padre/Jonas/Claudia/Geninho/Mauricio/Ana Paula/Rafaela/Rubão



?



07  - Seq 07 - 
Casa de Ana Paula/Interna



Personagens: Ana Paula/Rafaela/Claudia/Geninho/Pai de Ana/Mãe de
Ana/Altamira



Casa de Tia Katia - 
Pertinho de minha casa - Bairro dos Novais



08  -  Seq
08 - Escola/Externa /Incêndio



Personagens:  Jonas/Alunos/Abilio/Pipoqueiro/Menino
01/Menino 02/Menino 03



Teatro Ciláio Ribeiro - Centro



09  -  Seq
09 -  Consultorio Neurologista/Interna



Personagens:  Pai de Ana/Mãe
de Ana/Neurologista/ Jonas/ Figurantes



Itabaiana-Pb - 
0k



10
-  Seq 10 -  Casa de Ana Paula / insert rua
/Interna/Externa



Personagens:  Altamira/Mãe
de Ana Paula/Jonas/Mauricio/Rubão/Ana Paula/Claudia



Casa de Tia Kátia - 
pertinho de minha casa - Bairro dos Novais - 0k



11 -
Seq 11 -  Delegacia/ Interna



Personagens:  Delegado/Jonas/Abilio/Padre



Secdtur - Santa Rita - 0k



12
-  Seq 12 -  Bodega do Lula/ Interna



Personagens: Altamira/Lula/Zeca/Laura/Baleiro/jornalista 01



Internacional - Cruz das Armas - 0k



13 -
Seq 13 - Casa de Ana Paula/ Interna/Externa/Insert Rua



Personagens:  Ana Paula/Pai
de Ana Paula/Mãe de Ana Paula/figurantes/Jornalista
02,03,04,05,06,07,08,09/jonas - cobertura total de Tvs e Jornais.



Casa de tia Kátia - Pertinho de minha casa -  Bairro dos Novais - 0k



14 -
Seq 14 -  Rua/Noite/Externa - Disco
Voador - final



Personagens: Jonas/Altamira



Perto do postinho de Saude - Bairro dos Novais - 0k



Admin · 2 vistos · Deixe um comentário

Página precedente  1, 2, 3, 4, 5, 6  Próxima página